Sed fugit interea, fugit irreparabile tempus...


...diria o poeta e pleno de razão, já que ano e meio se passou desde que me atrevi a escrever aqui qualquer coisinha. Prova maior disso mesmo, são os passinhos, ainda que trémulos, da minha filhota a lembrar-me que ele realmente fugit e não há quem o apanhe; talvez, quiçá, os mais afortunados o possam capturar em esparsos instantes de fugaz felicidade. Não raro experimento essas sensações de perenidade: num abraço apertado da minha filha ou numa das suas gargalhadas estridentes mas sinceras. Nessas ocasiões o tempo, comovendo-se com tal cenário digno de um quadro da Renascença Italiana, como que congela por breves instantes deixando nos lábios laivos de eternidade.

Regressa agora a vontade renovada (ou pelo menos a intenção) de dedicar alguns minutinhos a "escrevinhar" aquilo que me pulula na alma: as muitas incertezas e dúvidas que me assaltam diariamente o espírito, neste mundo cada vez mais desumanizado e desumano, mas também a firmeza pétrea de, ao voltar para casa em final do dia, encontrar nas minhas mulher e filha, a minha comfort zone.

Aqui fica uma foto da pequena Isabela tirada no Verão passado a atestar o insofismável Sed fugit interea, fugit irreparabile tempus.

Comments (2)

On January 8, 2009 at 10:10 PM , lontra=) said...

Olá =)) Que tal agendar um romance entre a tua lindissima menina e o mais que tudo para um futuro distante?
Bem vindo de volta. . .

 
On January 27, 2009 at 12:23 PM , Anonymous said...

O blogue está muito bem sim sr... o melhor aqui mesmo é a tua filhota que está muito bonita. Parabens