O 2º Duatlo de Matosinhos foi simultaneamente o meu 1º de sempre.
E, como habitualmente nisto das 1ªs vezes, há sempre um certo nervosismo subjacente atenuado porém pelo facto de estar praticamente a "jogar" em casa.


Após um frugal almoço, dirigi-me para o local da prova onde cedo deu para perceber que teríamos como principal adversário o forte vento que iria dificultar principalmente a progressão nos 22,4 kms anunciados do segmento de ciclismo.

Depois de disposta a bicicleta e restante equipamento no parque de transição com a preciosa ajuda do Rui Ferreira, o nosso “mestre Yoda” já muito experiente nestas andanças, foi tempo de um curto aquecimento em companhia dos restantes colegas de equipa: Rui Ferreira, Miguel Lopes, Carlos Rocha, Jorge Pato, Paulo Barradas e João Miguel.

Partida para a primeira de duas voltas do primeiro segmento de corrida (4,8 kms) e, a favor do vento, foi um tal dar às pernas por ali abaixo. Barradas e Miguel Lopes, um pouco mais à frente mas sempre ao alcance da vista, foram as minhas referências nesta primeira fase. Depois da primeira viragem e com o vento contrário é que começaram verdadeiramente as dificuldades; instintivamente procurei abrigo nas costas de um ou outro atleta o que fez abrandar o andamento mas ajudou a poupar forças para o ciclismo que se antevia particularmente difícil.

Concluída a 1ª corrida, demos entrada no parque de transição e aí as coisas não me correram particularmente bem. Por nítida falta de treino, demorei demasiado tempo a calçar os SPD’s e a colocar o capacete (é realmente fundamental treinar aquela que é considerada a quarta modalidade do triatlo já que se podem ganhar ou perder preciosos segundos!!!).

No percurso de ciclismo, a estratégia passava por seguir em grupo já que quem ficasse sozinho naquelas condições teria a tarefa de enfrentar o vento substancialmente dificultada. Assim, integrei-me num grupo onde seguiam as primeiras meninas e qual não foi o meu espanto quando, no retorno a favor do vento, tinha sérias dificuldades em acompanhá-las (nesta parte, segundo dizem, chegou-se a rolar acima dos 60 kms/hr)!!! Com a integração no grupo do Rui Ferreira, que entretanto tinha ficado um pouco para trás no segmento de corrida, renovou-se-me o entusiasmo e, sentindo forças, fui para a frente tentar espevitar o andamento. O Rui, em vão, ainda gritou para ter calma!!! Paguei cara a ousadia com alguns indícios de cãibras já no final!!! Na segunda de três voltas, já o Rui tinha desaparecido que nem uma bala e o Carlos, vindo de trás, tinha-se juntado ao grupo; conversámos entre nós a possibilidade de espevitar o andamento e ainda passei, uma ou das vezes, pela cabeça do grupo. Em vão já que, ninguém se atrevia a oferecer o peito ao vento. Assim, foi gerir o esforço até à transição para a última corrida.

Nova transição, novas dificuldades desta vez acrescidas já de algum cansaço e consequente falta de discernimento (definitivamente temos de treinar esta componente!!!).

Entrada nos últimos 2,4 kms de corrida (e de prova) com as pernas bastante trôpegas. Nos treinos, já me tinham falado que esta transição (bike/corrida) é particularmente crítica mas nunca pensei sentir as pernas tão pesadas!!! Desta forma, este último segmento foi fraquinho e custou-me alguns lugares.

O Beira-Mar em números:

CORRIDA

CICLISMO

CORRIDA

4800

(MT)

22400

(MT)

2400

(MT)

LG

DRSL

NOME

ESC

Equipa

Pos

CORRIDA

Pos

CICLISMO

Pos

CORRIDA

TOTAL

DIFF

55

3180

Barradas

SEN

SCBM

69

0:18:04

47

0:42:16

68

0:10:17

1:10:37

0:07:49

61

4187

Rui Ferreira

V1

SCBM

89

0:18:38

28

0:41:45

106

0:10:55

1:11:18

0:08:30

86

5204

Raul Matos

SEN

SCBM (*)

72

0:18:05

98

0:44:45

90

0:10:40

1:13:30

0:10:42

90

3571

Carlos Rocha

SEN

SCBM

123

0:19:07

69

0:43:31

115

0:11:09

1:13:47

0:10:59

107

3574

Miguel Lopes

SEN

SCBM

75

0:18:07

135

0:46:41

83

0:10:29

1:15:17

0:12:29

151

3573

João Miguel

SEN

SCBM

187

0:21:10

112

0:45:36

207

0:13:00

1:19:46

0:16:58

165

3576

Jorge Vieira

SEN

SCBM

159

0:20:03

168

0:49:11

179

0:12:15

1:21:29

0:18:41

(*) inscrito como individual

Aspectos a trabalhar:

a transição (definitivamente!!)
o segmento de ciclismo (tenho-me limitado apenas a umas voltitas quinzenais de BTT)
a gestão do esforço


Agradecimentos pessoais (sem qualquer hierarquia):

Ao João Oliveira que efectuou a minha inscrição,
Ao Marcos pelo empréstimo da bicicleta,
Ao Carlos pelo transporte da mesma,
Ao Jorge e à Joana (namorada do Rui) pelas fotos (o Jorge porque cedeu a máquina e a Joana as tirou),
Ao Rui Ferreira pelos conselhos sábios e dicas antes e durante a prova (é sem dúvida o nosso mestre Yoda nestas andanças)
Ao Miguel Lopes pelo apoio psicológico (a sua já famosa psicologia inversa)
A todos os colegas de equipa e demais participantes que proporcionaram uma excelente tarde de desporto e salutar convívio.

Venha breve o próximo!!!

Comments (4)

On March 30, 2009 at 5:09 PM , Duarte Gregório said...

boas,
desse mal me queixei tambem no meu primeiro duatlo, vai para 3 anos, mas o prazer foi tanto que nunca mais parei e agora vou a todos.
abraço e bons treinos, que o proximo vai ser bem melhor

 
On March 31, 2009 at 2:06 AM , joaquim adelino said...

O conhecimento advém da prática, tente mais vezes.
A 1ª é para conhecer.
A 2ª é para vencer...
Abraço

 
On April 24, 2009 at 8:00 PM , Maratona das Cataratas do Iguaçu said...

Brother !
Estamos seguindo e lendo seu blog. Inclusive colocamos entre nossos favoritos. Convidamos você, para conhecer nosso blog. Se quiser seguir, para nos será um prazer.

 
On May 8, 2009 at 6:47 PM , Maratona das Cataratas do Iguaçu said...

Oi,

Add o nosso msn:
meiamaratonadascataratas@hotmail.com